1º/12: Pastoral da Aids realiza campanha: “Aids tem tratamento, quem ama cuida e se cuida”

O dia 1º de dezembro marca a celebração do Dia Mundial de Luta contra a Aids (Síndrome da Imuno Deficiência Adquirida). Para muitos, como A.B., 51, que há 10 anos descobriu-se com um diagnóstico positivo para o HIV, a data tem um significado especial. Segundo ela, ser HIV positivo não significa mais que a vida acabou. Trata-se apenas de uma vírgula que pede mais atenção e cuidado com a própria vida e com vida das pessoas com quem se relaciona.

Contudo, apesar de hoje o diagnóstico positivo não ser mais sinônimo de morte, não deixa de ser um momento difícil como relata A.B. “Ao receber o resultado positivo, a gente se sente como se o mundo desabasse na nossa cabeça”, afirma. Foi graças ao trabalho que desenvolve a Pastoral da Aids, presente em 80 dioceses de 17 regionais da Igreja no Brasil com cerca de 3 mil agentes, que A.B retomou a confiança em si e a coragem para seguir a vida. “Ao chegar aqui, no grupo de apoio, da pastoral você encontra força para caminhar, percebe que sua vida não está acabada, simplesmente tem que ter mais cuidado e atenção, tomando a medicação”, compartilha.

A Pastoral da Aids, ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, se soma ao esforço de organizações da sociedade e do governo brasileiro para reduzir os índices de infecção e para oferecer apoio e cuidado com a realização, este ano, da campanha cujo tema é: “Aids tem tratamento – quem ama cuida e se cuida”. Esta campanha, segundo o padre Mauro Sergio Marçal, assessor nacional da Pastoral da Aids, vai incentivar ao tratamento e sua adesão, como importante estratégia para a prevenção da epidemia e o autocuidado às pessoas que já vivem com HIV/Aids, gerando bem estar e vida com qualidade.

A campanha parte da constatação de que o tratamento, quando seguido e mantido de forma adequada, leva à redução da carga viral, ou seja, à redução da quantidade de vírus circulante no organismo, impedindo que o HIV seja transmitido a outras pessoas. Além disso, promove grandes benefícios para o indivíduo que vive com o vírus: evita o colapso do sistema imunológico, previne doenças oportunistas e mantém o organismo saudável, impedindo o desenvolvimento da Aids, dando plenas condições para uma vida normal.

Padre Mauro Sergio reforça que assim como as campanhas anteriores que já trabalharam o incentivo ao diagnóstico precoce e busca pelo tratamento, a campanha deste ano também se inscreve na estratégia proposta pela Unaids de “testar e tratar”, tendo em vista a eliminação da epidemia da aids até o ano de 2030. A campanha pretende colaborar no alcance da meta 90-90-90. A meta Unaids pretende diagnosticar 90% das pessoas com HIV; vincular ao tratamento 90% das pessoas diagnosticadas e incentivar que 90% das pessoas em tratamento alcancem carga viral indetectável, através da adesão à medicação.

Boletim Epidemiológico – O “Boletim Epidemiológico HIV/Aids”, do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, do HIV/Aids e das Hepatites Virais, da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde (DIAHV/SVS/MS), publicado dia 27 de novembro registra que no Brasil, em 2017, foram diagnosticados 42.420 novos casos de HIV e 37.791 casos de aids, com uma taxa de detecção de 18,3/100.000 habitantes (2017), totalizando, no período de 1980 a junho de 2018, 982.129 casos de aids detectados no país.

Desde o ano de 2012, observa-se uma diminuição na taxa de detecção de aids no Brasil, que passou de 21,7/100.000 habitantes (2012) para 18,3/100.000 habitantes em 2017, configurando um decréscimo de 15,7%; essa redução na taxa de detecção tem sido mais acentuada desde a recomendação do “tratamento para todos”, implementada em dezembro de 2013.

Na Igreja no Brasil, onde a Pastoral da Aids tem atuação de seus agentes, diversas ações estão planejadas. A Pastoral da Aids da Diocese de Nova Friburgo realiza uma Santa Missa pelo Dia Mundial de Luta Contra a Aids, que acontecerá em 30 de novembro, às 16h, na Catedral Diocesana São João Batista – em Nova Friburgo. Além da Celebração Eucarística, será realizada uma ação de informação e orientação para a população sobre a importância do teste de HIV. Os testes rápidos serão oferecidos gratuitamente no Posto de Saúde Silvio Henrique Braune, no Centro, nos seguintes dias: 26 e 28/11 – segunda e quarta-feira, de 13 às 16 horas; 27 e 29/11 – terça e quinta-feira, de 9 às 16 horas; e 30/11 – sexta-feira, de 8 às 12 horas.

A campanha da Pastoral da Aids, a ser realizada pelos agentes da Pastoral da Aids e de outras pastorais nas dioceses do todo o Brasil, a partir do dia primeiro de dezembro conta com cartazes e panfletos e foca em três grandes objetivos. O primeiro é lembrar a população brasileira que Aids não tem cara, por isso é tão importante o diagnóstico precoce: quanto antes souber, maior a possibilidade de preservação do estado de saúde. O segundo é destacar que não existe mais o “coquetel da aids” como era na década 90, hoje o tratamento é mais simples: menos comprimidos e doses, mais eficiência e praticidade. O terceiro é ressaltar que a Aids não tem mais “cara de morte”, pois é possível ter saúde e vida plena, mesmo vivendo com o vírus HIV. Mais informações: www.pastoralaids.org