Oito países pedem reunião do Conselho de Segurança da ONU sobre Jerusalém após anúncio de Trump

Oito países pediram nesta quarta-feira (6) uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU depois que os Estados Unidos anunciaram o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel e a transferência para lá de sua embaixada – atualmente instalada em Tel Aviv. A presidência japonesa do Conselho informou à agência France Presse que a reunião será reailzada na manhã da próxima sexta-feira.

Um comunicado da missão sueca informa que Bolívia, Egito, França, Itália, Senegal, Suécia, Reino Unido e Uruguai pediram uma reunião de emergência do órgão decisório até o final desta semana.

O anúncio de Trump, feito um dia após diversos apelos da comunidade internacional para que a decisão não fosse tomada, foi comemorado por políticos israelenses, mas recebeu muitas críticas internacionalmente. Protestos foram realizados na Faixa de Gaza e na Turquia.

O reconhecimento da cidade como capital é considerado polêmico, uma vez que os palestinos querem Jerusalém Oriental como capital de seu futuro Estado, e a comunidade internacional não reconhece a reivindicação israelense sobre a cidade como um todo. Entenda.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, disse que o status de Jerusalém deve ser decidido por uma “negociação direta” entre israelenses e palestinos, reiterando que sempre foi “contra toda medida unilateral”. “Não há alternativa à solução de dois Estados”, afirmou.